Playlist da semana: Hotel Europa 70

Esta semana, um pouco de escapismo. Imaginámos uma banda-sonora de um filme nunca feito, rodado num hotel na Europa onde todas as mulheres são bonitas e os homens prováveis espiões. Romance, suspense, elegância, cocktails e segredos quando a noite cai.

“Ice Cream Man” – Tom Waits

Uma música do homem que assumiu só cantar porque “ser canalizador daria muito trabalho”.

Howlin’ Wolf – Moanin’ in the Moonlight (1959)

Uma voz cavernosa na noite escura. O blues como transe e maldição.

Nacho Vegas – Violética (2018)

Nacho Vegas está de volta e traz Violética consigo. É um disco duplo, a bem do prazer e da fartura dos melómanos.

António Zambujo – Do Avesso (2018)

Dizem que a beleza está na simplicidade, mas como fazer música simples e cativante? Telefonem ao Zambujo a perguntar.

Dr. John – Gris-Gris (1968)

Gris-Gris não está nem velho, nem cansado. Move-se ainda com a elegância de quem, mesmo totalmente pedrado, mantém a postura dos seus dignos 50 anos de idade.

Playlist da Semana: Mais uma volta, mais uma viagem

Mais uma volta, mais uma viagem de Golf, ainda que não o original, mas com as canções de sempre.

“Bad Liver and a Broken Heart” – Tom Waits

Canção do Dia: “Bad Liver and a Broken Heart” – Tom Waits

Ute Lemper || C.C.B.

Reportagem fotográfica do concerto de Ute Lemper no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. A cantora veio apresentar o seu espectáculo chamado Songs From The Heart, dedicado às suas canções originais mas também com celebrações de temas de Nick Cave, Tom Waits e outros.

Tom Waits – The Heart of Saturday Night (1974)

Segundo registo fonográfico de Tom Waits, com a chancela da Azylum Records. Pot-pourri estilístico com Glenfiddich e Lucky Strike à mistura. Comme il faut!

“Clap Hands” – Tom Waits

Assim termina a semana com um aplauso ao grande mestre. É verdade que muitas vezes tenho dificuldade em perceber o que este senhor diz, mas nunca duvidei de que é genial. E esta canção, “Clap Hands” é, sem dúvida, uma…

Canção do dia: Christmas Card from a Hooker in Minneapolis – Tom Waits

Outro dia alguém me dizia que uma das razões por que Tom Waits não vem a Portugal pode passar por os seus agentes olharem para o ordenado mínimo e médio do país e não fazerem particular questão em trazer um…

Canção do dia: Hold On – Tom Waits

A câmara começa a gravar. Uma imagem que parece vinda de um filme dos irmãos Lumiere. O gigante Tom aparece encostado a uma árvore e de guitarra na mão. Sentado numa casa destruída e, logo depois, encostado a uma parede.…

Migala – Así Duele Un Verano (1998)

Depois de quase um mês de férias junto ao mar, era tempo de voltar a ter os pés bem assentes em terra. O verão parecia ter os dias contados, e mesmo quando esperávamos dele os calores que lhe dão nome,…

“Martha” – Tom Waits

Numa das suas mais belas composições, Tom Waits conta a história de Tom Frost (o nome não será coincidência) que liga a um antigo interesse amoroso, de há quarenta anos ou mais: Martha. Depois de marcado um encontro, falam da…

Canção do Dia: Tom Waits – The House Where Nobody Lives

Nunca conheci ninguém naquela casa. Apenas a casa, as paredes, as portas e uma certa luz que vinha de dentro, ou de um qualquer lugar indistinto. Negra, soturna, aquela casa sempre me fascinou, embora nunca soubesse bem porquê. As casas…

“What’s He Building” – Tom Waits

Nesta spoken-word do álbum Mule Variations (’99), a simpatia de Waits não recai sobre o narrador (um cidadão normal, vigiando um vizinho misterioso) mas sim para o pobre do vizinho acossado pela sua vizinhança conservadora. Waits aponta assim a sátira…

Canção do Dia: Tom Waits – Frank’s Wild Years

Talvez a canção mais conhecida de Swordfishtrombones de 83, o disco que marcou uma profunda viragem artística na obra de Waits. Trata-se de uma metáfora sobre o próprio desmembramento da sua família aos 10 anos, quando o seu pai – rebelde – se…