Cine Altamont

Num DVD perto de si: Some Kind of Monster (2004)

Comments (3)
  1. Alex diz:

    caríssimos, concordo quase na totalidade com o que dizem.
    Big brother sem dúvida.
    quando digo é um must see, e admito que não me tenha explicado bem, é devido ao facto de vermos o vazio que se encontra nestas alminhas que são tanto glorificadas. Os metallica, neste momento, não são mais que uma lady gaga e este era o meu ponto.

  2. ico costa diz:

    “Penso que é um must see não só para os fãs da banda, mas como para qualquer fã de música que se preze”.

    No entanto, ou será porque eu não sou fã de “música que se preze” – sabe-se lá o que isso quer dizer, cá para mim é uma frase REACCIONÁRIA – eu vi um bocado disto e achei uma trampa.

    Vejo um par de realizadores – que não me parecem ser realizadores mas sim operadores de câmara e montadores – sem nada para dizer e vejo uma banda cuja metade dos membros pinta o cabelo igualmente sem nada para dizer.

    Ainda assim querem fazer-me crer que esta coisa – esta sala do confessionário do BB mas com pessoas claramente menos interessantes que o telmo ou o zé maria – é um must-see para amantes de música, repito, “que se preze”. No entanto é um logro e fez parte do projecto de marketing para os Metallica se relançarem – mas que só conseguiu atingir os fãs com QI’s inferiores ao deles próprios, o que por estranho que pareça através deste “filme”, ainda devem ser muitos.

    Nota:
    Gosto muito dos quatro primeiros álbuns de Metallica.

  3. Cisto diz:

    rich pricks half retarded that cannot have a real conversation between themselves.
    o problema deste documentário está no cineasta, que optou pela bigbrotherização e nunca deixou os “artistas” suficientemente à vontade. Lars está constantemente a actuar para a câmera. Surpreendente a incapacidade de dizerem uma frase que seja interessante, o que explica a falta de criatividade, ou como eles dizem, inspiração. Ficamos a saber também que o que impulsiona as decisões da banda, nesse momento, estava mais relacionado com aspectos exteriores (o que é trendy ou não, por exemplo) do que com decisões interiores, puras, que sigam aquilo em que eles acreditam verdadeiramente. Nada está mais afastado disso que os Metallica vistos neste documentário.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *