7.5/10
IAN – RaiVera (2020)

O disco de estreia de IAN respira liberdade e inventividade, ligando a pop mais imediata a momentos mais contemplativos.

Sigur Rós – Takk… (2005)

Voltemos 15 anos atrás, ao momento em que os Sigur Rós mostraram que conseguiam também…

John Lennon – Plastic Ono Band (1970)

O melhor disco de um Beatle a solo. Lennon escarafunchando as suas feridas com uma chave de fendas e gritando.

7.5/10
B Fachada – Rapazes e Raposas (2020)

Uma ausência prolongada desembocou num disco surpresa e trouxe de volta o mais galante bardo…

8/10
Bill Callahan – Gold Record (2020)

O homem da voz funda dá-nos mais um belo disco em que confirma que está,…

8.5/10
The Flaming Lips – American Head (2020)

Os alquimistas Flaming Lips regressam a um território onde já foram felizes com o recente American Head, e salvam-nos com a melancolia deles.

Stevie Wonder – Innervisions (1973)

O menino-prodígio da soul faz-se um homem, com um disco que tem tanto de político como de espiritual. Nove canções perfeitas, transbordantes de luz interior.

Stereolab – Dots and Loops (1997)

Dots and Loops é hipnótico, elegante e fresco, e o melhor disco de uma grande banda

Dusty Springfield – Dusty In Memphis (1969)

A soul acontece quando uma alma transborda. Dusty in Memphis é um extravasante dilúvio.

Placebo – Without You I’m Nothing (1998)

Dois anos depois da estreia em disco, os britânicos Placebo fazem o seu trabalho mais…

6/10
Taylor Swift – Folklore (2020)

A cantora mais bem sucedida da cena pop mundial aproveitou a pandemia para se reinventar num disco “indie” e, sobretudo, íntimo.

8/10
Tim Burgess – I Love the New Sky (2020)

Herói do confinamento, optimista incorrigível mas de maneira nenhuma superficial, Tim Burgess pode não salvar o mundo mas está numa missão de ajudar a puxá-lo para cima.

7/10
Rose City Band – Summerlong (2020)

Ripley Johnson, membro dos Wooden Shjips e Moon Duo, traz-nos o country rock americano dos anos 70, com guitarras prolongadas e ritmos de deserto.

7.5/10
The Killers – Imploding the Mirage (2020)

Sem o guitarrista de sempre, os Killers reinventam-se. Com sucesso: a novidade é empolgante e estreia a relação do grupo com os anos 1980. K.D. Lang e Weyes Blood ajudam.

8.5/10
Fontaines D.C. – A Hero’s Death (2020)

Os Fontaines D.C. voltam em força com o seu segundo álbum, A Hero’s Death, portentoso…

8/10
Rufus Wainwright – Unfollow the Rules (2020)

Depois de homenagear Judy Garland, de gravar óperas, musicar textos de Shakespeare e de um…

7.5/10
JARV IS… – Beyond the pale (2020)

O homem dos Pulp regressa com uma nova banda, novos caminhos musicais e a mestria…

Velvet Underground – White Light/White Heat (1968)

Ainda as flower girls de Manson não haviam cortado Sharon Tate em pedacinhos, já os Velvet suspeitavam que havia algo de profundamente pueril na utopia hippie. White Light/White Heat nem chega a ser desencantado porque nunca teve ilusões.