Gonçalo Correia
174 Articles0 Comentários

Nascido no ano em que saiu Songs of Faith and Devotion (que o seu duvidoso gosto ainda não lhe permitiu explorar devidamente) e licenciado de fresco em Comunicação Social, este jovem aspirante a jornalista (ou outra coisa qualquer que não queira confessar) só acordou tardiamente para a música, e a sua (curta) colecção musical baseia-se sobretudo em jovens bandas promissoras dos tempos modernos – os Doors e os Beatles – sendo ainda de mencionar igualmente os rapazes Dylan e Hendrix, a quem perspectiva um auspicioso futuro.

“Kilario” – Di Melo

Uma pessoa ouve este canção, lançada em 1975 pelo artista brasileiro dos sete ofícios Di Melo, e é difícil não concordar com a tese de um dos colaboradores mais reguladores do Altamont, Carlos Lopes: a música popular brasileira tem mesmo…

“Com Mais de 30” – Cláudia

Que os trintões, quarentões, cinquentões e por aí adiante nos perdoem quando ouvirem Cláudia cantar “não confie em ninguém com mais de 30 anos”, mas o ritmo da canção — composta por Marcos Valle e Paulo Sérgio Vall — e a…

“O Amigo de Nova York” – Emílio Santiago

Continuamos por terras de Brasil e hoje temos mais uma canção do dia da autoria de um carioca. Emílio Santiago, nascido em 1943 mas já falecido em 2013, estudou direito, mas na faculdade uns amigos pregaram-lhe uma rasteira e inscreveram-no…

“Ceaseless Inexhaustible Child (Cyntoia Brown)” – Ambrose Akinmusire

Com tom de tristeza, ao mesmo tempo desoladora e lindíssima (porque comovente), o tema propõe-se a pensar como é para uma mulher passar a vida inteira na cadeia por um crime cometido em adolescente. Avassalador.

“Plumita” – Sílvia Pérez Cruz

Há lá melhor maneira de começar a semana do que com uma canção de um disco novinho em folha, acabado de editar, de uma das melhores cantoras que temos ouvido por estes anos?

Playlist da semana: a que soou o ano em que perdemos Hendrix e Janis?

Nesta semana, recordamos os melhores álbuns e em alguns casos as melhores gravações de há 50 anos. Escolhemos por isso exemplares do que de melhor se fez e ouviu em 1970. Viaje e recue uns anos connosco ao som de mais de 60 temas da época.

“If I Had a Hammer” – Sam Cooke

Esta é uma versão insuperável, de um grande cantor num momento de forma de génio absoluto. A prova? Nesse mesmo ano, saía uma cançoneta chamada “A Change is Gonna Come”…

“Change” – Mavis Staples

Esta “Change”, um apelo para a necessidade de mudanças, está bem fresquinha.

“We The People Who Are Darker Than Blue” – Curtis Mayfield

Curtis não só criou canções e bandas sonoras instrumentalmente primorosas como cantou explicitamente, sem grandes freios, sobre os problemas sociais do seu tempo e da comunidade negra.

“Is It Because I’m Black” – Syl Johnson

Se as mudanças já não se cantavam a bem, iam cantar-se a mal.

Playlist da Semana: Canções contra o racismo

Revemos, de forma maioritariamente cronológica, alguns dos temas que versaram sobre as injustiças do racismo, a dificuldade de se ser negro e as diferentes lutas que tiveram e ainda têm de travar-se para assegurar a igualdade entre raças.

“Mistery Calling” – Nap Eyes

Os Nap Eyes provam que ainda há boa música no pop-rock e indie-rock. Oiça-se a excelente “Mystery Calling” e tirem-se as dúvidas.

“Medo” – Amália por Júlio Resende

Em “Medo” ouvimos Júlio Resende desafiar a mortalidade e a contemporaneidade para ensaiar um dueto imaginário com Amália.

“Backlash Blues” – Nina Simone

“Backlash Blues”, com letra do seu amigo, poeta e ativista Langston Hughes, é uma das composições mais brilhantes cantas por Nina Simone.

“Sweet Revenge” – John Prine

Um humor à John Prine: all of my friends / are not dead / or in jail.

“One Fine Morning” – Bill Callahan

Nestes tempos conturbados, fica mais fácil acreditar que também há manhãs boas, que haverá manhãs luminosas, quando é o Bill Callahan a cantá-las.

Playlist da Semana: a música da década, pré-pandemia

Uma playlist eclética com alguns dos melhores discos e alguns dos artistas marcantes do período 2010-2019. Uma seleção que inclui pop, rock, folk, country, jazz, hip-hop e música eletrónica.