Filipe Garcia
93 Articles0 Comentários

Bicho de letras e de muitas ondas sonoras, cresci convencido que quanto mais pesado melhor era o rock, mas descobri a luz quando me apresentaram o Jazz e os blues. O indie é dispensável, as doses de rock não.

“We are Alright Again” – Eels

Até há um par de dias vivíamos com Trump, até há um par de dias não havia disco novo dos Eels. Dois problemas resolvidos e caso para dizer, We are alright again.

“Anthracite” – Cymande

Uma música para despertar curiosidade.

“Mandinga” – Rubén González

Sempre que procuramos um piano capaz de fazer (tentar) dançar, o ideal é ir ter com o senhor Rubén Gonzáles. Fica “Mandinga”.

“Cidade Velha” – Tito Paris

Tem um toque a saudade, um ritmo a verão e um balanço a lembrar tempos menos complexos ou, pelo menos, mais livres.

Playlist da Semana: Funky Altamont

Enquanto as nossas salas de casa vão sendo transformadas em pista de dança, fica uma playlist cheia de funk. Para matar as saudades e ganhar balanço para quando a magia for, mesmo, para espalhar numa pista de dança.

“Get By” – Talib Kweli

Aristocrata no Mundo do Hip Hop e um dos principais impulsionadores da cultura que o acompanha.

Metallica – S&M2 (2020)

A voz de James Hetfield é a melhor surpresa da segunda aventura sinfónica dos Metallica e nem por isso o disco deixa de nos aquecer a alma. Será a isto que chamam envelhecer com classe?

Kanye West – Late Registration (2005)

Em Late Registration, Kanye West mostra o bom e o genial, a fé e até a vaidade. A loucura viria depois.

Fiona Apple – Fetch The Bolt Cutters (2020)

Ao quinto álbum, Fiona Apple apresenta a sua melhor música. Fora dos limites reservados aos comuns mortais, a nova iorquina volta a mostrar que o seu o planeta tem uma bela banda sonora. Um dos candidatos a disco do ano.

While My Guitar Gently Weeps – The Beatles

O segredo de “While My Guitar Gently Weeps” estava na lista de culpados e na exigência de Harrison – não negociável, para a sua música Harrison queria Eric Clapton à guitarra. Há exigências que se impõem.

“Damn Right I Got the Blues” – Buddy Guy

Hoje carrega aos ombros o peso de ser o maior embaixador vivo dos Blues.

“Pretty Lady” – Tash Sultana

Quem passou pelo palco secundário da última edição do Alive, dificilmente lhe ficou indiferente.

“Beautiful Morning” – Machine Head

Tenham uma bela manhã, com os Machine Head.

“A minha praia” – Sam the Kid

A Sam the Kid começa a ser hora de reconhecer o toque de Midas.

Playlist da Semana: Prince

Chafurdemos em Prince.

Lour – Change (2019) [EP]

De viola em riste e voz delicada, Lour foi crescendo ao lado do Altamont.

“Soul Sacrifice” – Santana

Jimi Hendrix descrevia a sua música como uma experiência religiosa. Com Santana a religião é mais latina, mais carnal, mais balançada, mas não menos transcendente, não menos feroz.

“Oye Este Mi Canto” – Santana ft. Buika

Na verdade, a mistura nem é descabida, apenas a diferença de idade e de estatuto na cadeia alimentar da música a torna inesperada.