Canção do dia

“Ain’t Gonna Let Nobody Turn Me Around” – The Roots

O Supremo Tribunal Americano bem insistia, em decisões judiciais tomadas desde os anos 1940, que a segregação racial em transportes e autocarros públicos era inconstitucional — mas mais de 15 anos depois, no Sul dos Estados Unidos da América ninguém ligava pevide à lei.

Conta o The Washington Post que em 1961 os Freedom Riders, ativistas que desafiavam os ouvidos moucos às decisões judiciais viajando nos autocarros em grupos de brancos e negros, rumaram de Washington D.C. ao território sulista. Apesar de não estarem a fazer nada de ilegal, o resultado foi o esperado: emboscadas aos autocarros, espancamentos, a expectável resposta agressiva não só do Ku Klux Klan mas também da polícia. Muitos, diz o mesmo jornal, acabaram na prisão estatal do Mississippi, a cantar precisamente esta canção, cuja origem é difícil precisar.

O tema foi ganhando cada vez mais contornos de hino, à medida que o movimento dos direitos civis se impunha nos Estados Unidos da América reclamando de uma vez por todas a igualdade racial — que em 2020 ainda é tema.

Uma versão mais antiga do tema, gravada pelos importantíssimos Freedom Singers, pode ser encontrada aqui. Mas em 2012, os The Roots editaram a sua versão do tema, gravada para a banda sonora do filme documental Soundtrack for a Revolution, de 2009. A premissa do filme? “Cada geração encontra a sua voz”. A letra?

“Ain’t gonna let no jailhouse, turn me ‘round
(…)
Ain’t let segregation turn me ‘round
(…) 
I’m gonna keep on a-walkin’, keep on a-talkin’
Marchin’ on to freedom land

Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *