“Let Me Love You Like a Woman” – Lana del Rey

O avanço, que hoje partilhamos, para o novo disco de Lana, é mais do mesmo – e isso é bom, muito bom.

“Summertime Sadness” – Lana Del Rey

Recordemos uma canção de verão, embora soturna e pouco soalheira. Grande tipa.

Lana Del Rey – Norman Fucking Rockwell! (2019)

Este é, definitivamente, um disco de detalhes. É um disco suave, para se ouvir em conforto e com atenção.

Lana Del Rey – Born to Die (2012)

Que se lixe a verdade, diz Born to Die a cada instante. A beleza é muito mais importante.

“Hope is a Dangerous Thing for a Woman Like me to Have – But I Have It” – Lana Del Rey

É um dos singles já lançados e é daqueles que tem Lana del Rey escrito em todo o lado. Na letra, na soturnidade, na melodia e na voz, que quase parece que não está a cantar, mas a contar uma história.

“Mariners Apartment Complex” – Lana del Rey

Lá porque a canção é mais soturna não quer dizer que quem a escreve também o seja. Nem quem a ouve.

Lana Del Rey é o primeiro nome do Super Bock Super Rock 2019

Lana Del Rey regressa ao seu local de estreia em Portugal e é a primeira cabeça-de-cartaz do festival

Lana Del Rey – Lust for Life (2017)

Lana explodiu em 2012 e parecia que ia durar um verão, qual paixão de secundário descartada no fim da mocidade. Quatro álbuns depois, ela por aí continua – feiticeira, serpenteante, ótima compositora e dona de uma estética muito própria.

Lana Del Rey traz The Weeknd para novo single

Tema chama-se “Lust for Life” e dá nome ao próximo álbum da cantora.

Lana Del Rey – Honeymoon (2015)

No longínquo ano de 2011, “Video Games” e “Born To Die” fizeram o alter ego de Elizabeth Woolridge Grant ouvir-se em todo o lado. As profecias falavam numa nova diva da pop, que destronaria todas as que na altura partilhavam o trono.…

Lana Del Rey – Ultraviolence (2014)

Há várias formas de se falar da Lana del Rey. Podemos insistir na discussão se a moça é genuína ou se tudo nela é encenado. Do sorriso envergonhado ao afastar da madeixa solta de cabelo. Se fez uma plástica ou…

Playlist da Semana: Copianços, plágios, versões e outras que tal

Sejam canções copiadas, plagiadas ou apenas versões, muitas vezes não deixam de ser ótimas… músicas.

Grimes – Visions (2012)

É na celebração do artificial e do sintético que Grimes faz a sua pop; a tecnologia não como uma ameaça distópica mas como um paraíso de possibilidades infinitas. A geração smartphone a jogar finalmente em casa.

Taylor Swift – Folklore (2020)

A cantora mais bem sucedida da cena pop mundial aproveitou a pandemia para se reinventar num disco “indie” e, sobretudo, íntimo.

Monday – Room For All [EP] 2020

Monday regressa com um ep bonito e delicado, como seria de esperar.

Os melhores discos internacionais de 2019

Saudemos 2019, saudemos o fim da década, marcado por muita música boa, mas sem claros vencedores, disperso que está o gosto das audiências.

Lorde – Melodrama (2017)

Uma festa trágica, na ressaca de um amor finado. Mais do que música, é cinema e verdade.

Billie Eilish – When We All Fall Asleep, Where Do We Go? (2019)

Ao longo da história da pop há sempre estes momentos em que as pessoas se fartam do excesso de artifício e reclamam um pouco de verdade. A verdade chegou e chama-se Billie.